Hoje nem eu me recomendo...

21
Mar 17

 

Contigo aprendi que é apenas quando assumo a mim mesma que ainda te amo, que consigo voltar a sentir felicidade genuína. 

 

Consumido por A. Leya às 12:16
tags:

12
Abr 12

Onde posso escrever tudo o que te quero dizer não correndo o risco de me magoar a mim mesma depois.

Porque eu sei assumir os riscos e posso até estampar a cara e o coração no fim da estrada, mas sempre aprendi a levantar-me no final, sacudir a poeira e dizer que fiz asneira sem quaqluer tipo de arrependimento.

Mas sempre me foi mais difícil fazê-lo com outros a ver.

Não sei sequer porque te continuo a procurar depois de quase 7 anos, 3 dos quais sem qualquer tipo de contacto.

Mas a verdade é que não me sais do pensamento. Que eu tento e re-tento e continuo a não te conseguir esquecer.

Como se nós os dois fossemos uma promessa antiga ainda por cumprir.

Ainda que eu nunca tenha sabido o que fazer contigo, não ouçamos as mesmas canções e tenhamos ritmos de dança diferentes.

Mas basta ouvir o som da tua voz e a minha vontade é largar tudo e fazer os quase 9.000kms que nos separam. Para que finalmente cumpramos o que o Destino nos prometeu há 7 anos atrás e vivamos o que tiver de ser, ainda que com data, tempo e lugar marcados. 

Não quero saber! Só quero acalmar a dor que trago no peito. Porque a irracionalidade que me provocas mata-me aos poucos. 

A verdade, essa, é que tu mexes com a minha alma. E quando isso acontece, não há nada que possa fazer porque eu própria não a controlo.

E a vida será sempre demasiado curta para um nós.

 

And now?

 

 

Consumido por A. Leya às 17:54
tags:

12
Mar 12

Eu fui o peão que chegou à casa 8 do teu tabuleiro, fui promovida Rainha e fiz xeque-mate ao Rei.

 

Ainda que a intenção não tenha sido ganhar o jogo.

 

Consumido por A. Leya às 22:20
tags:

11
Mar 12

My heart is taken.

Consumido por A. Leya às 23:28
tags:

09
Mar 12

Sempre que sinto o cheiro do teu perfume, lembro-me de todas as vezes que toquei no teu corpo e fui feliz.

Consumido por A. Leya às 15:01
tags:

08
Mar 12

O meu domicílio és tu.

Consumido por A. Leya às 11:17
tags:

05
Mar 12

Mais do que uma questão de compatibilidade, as minhas relações são feitas de uma questão de timming.

Consumido por A. Leya às 16:44
tags:

04
Mar 12

Que algures nessa imensidão do Mundo há alguém a vibrar na exacta e mesma frequência que eu.

 

E é apenas uma questão de tempo até começarmos a produzir melodia em conjunto.

Consumido por A. Leya às 17:23
tags:

02
Mar 12

Tocam guitarra. 

 

 

Só isso explica que saibam dedilhar tão bem a alma de uma mulher.

Consumido por A. Leya às 19:14
tags:

Eu quero ir contigo ao deserto.


Consumido por A. Leya às 08:38
tags:

29
Fev 12

Se as pessoas que desapareceram das nossas vidas voltassem, qual D. Sebastião, em dias de nevoeiro, tu estarias hoje de regresso à minha.

Consumido por A. Leya às 20:22
tags:

And I'm on my knees looking for the answer
Consumido por A. Leya às 17:13
tags:

O teu erro foi esperares de mim uma maturidade que eu não sabia nem poderia ter.

O meu foi achar que tinha alguma coisa para te ensinar e nem sequer perceber que tinha muito a aprender contigo.

Consumido por A. Leya às 16:02
tags:

Estou dorida de tanta lembrança.

Consumido por A. Leya às 10:33
tags:

28
Fev 12

E o mesmo se aplica às relações.

Consumido por A. Leya às 15:50
tags:

Essa mania de fazeres viagens sozinho, hoje não só a entendo, como a pratico.

 

F***! A vida dá mesmo muitas voltas.

Consumido por A. Leya às 15:48
tags:

Para só te conhecer agora.

Consumido por A. Leya às 15:12
tags:

27
Fev 12

A nossa história teve um princípio, tem um meio e não sei se algum dia terá um fim.

 

Eu bem tento re-escrever o que se segue, mas o sentimento é tão forte que ainda me abafa as palavras no peito.

 

Consumido por A. Leya às 09:51
tags:

20
Fev 12

I wanna know you.

Consumido por A. Leya às 14:37
tags:

15
Fev 12

Que estávamos destinados ao fracasso, quando nem sequer fomos capazes de nos lembrar do dia em que tudo começou.


Consumido por A. Leya às 12:57
tags:

Eu não quero escrever uma carta de amor. Não porque não tenha jeito para escrever porque isso sei que tenho bastante até.

Eu não quero escrever uma carta de amor. Porque o amor não se escreve, vive-se. Porque as palavras apenas dizem metade do que o amor é.

Porque o amor, quando existe tira-nos tudo, o fôlego, o sono, a fome, as palavras. E eu quero ficar sem nada.

Eu não quero escrever uma carta de amor porque não tenho a quem enviá-la.

Por isso não escrevo. Porque isto não é uma carta de amor.

Isto é um gesto de quem ainda acredita no amor. Isto é um manifesto.

Ao amor. What else?

 

Consumido por A. Leya às 00:25
tags:

14
Fev 12

Paixão é ataque, amor é defesa.

 

*E a esta hora estarei a ser criminosa com esta frase.*

Consumido por A. Leya às 20:39
tags:

13
Fev 12

Adoro recordar a tua voz a chamar-me "Fera!".

Consumido por A. Leya às 13:05
tags:

09
Fev 12

Sejam criminosos uma vez na vida.

 

 

Consumido por A. Leya às 15:52
tags:

06
Fev 12

Não sei se a alma existe mas sei que alguém feriu a minha.

Consumido por A. Leya às 00:02
tags:

02
Fev 12

No exacto momento em que deixam de ser asas e passam a ser apenas âncoras.

Consumido por A. Leya às 11:39
tags:

28
Jan 12

[Daqui]

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Consumido por A. Leya às 17:48
tags:

Março 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17
18

19
20
22
23
24
25

26
27
28
29
30
31


Consumos
subscrever feeds
Para Consumir
Consumismo
Leya Mailbox
Pesquisa
 
blogs SAPO